Menina Má -William March

img_8453

A Menina Má

William March

Darkside Books

Paginas: 272

SINOPSE: Publicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, MENINA MÁ ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark. Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também. MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.

Ola pessoal,

Desde quando lançou o livro “Menina Má” pela editora Darkside Books que fiquei tocada a comprar. Eu adorei a capa e enquanto não coloquei a mão no livro não fiquei por satisfeita. E foi justamente o que aconteceu, não sou parceira da editora, então tenho que adquirir do meu próprio bolso. Sabe aqueles livros que você compra pela capa? Esse é um deles, não me arrependo.

A Menina má conta a história de Christine e Rhoda Penmark, no primeiro paragrafo do primeiro capítulo nos dá a referencia de que o relacionamento da mãe e da filha não será um caso comum.

“Mais tarde naquele verão, quando a sra. Penmark olhava para trás e se recordava, tomada por um desespero tão grande que saia que nunca encontraria uma saída, sem ver solução para as circunstâncias que a atormentavam, lhe parecia que o 7 de julho, dia do piquenique da Escola Primária Fern, fora o dia em que sentiu felicidade pela última vez, pois, desde então, nunca mais soubera o que era alegria ou paz.”

Christine é uma mulher pacata e que conduz a criação de Rhoda dentro dos padrões aceitáveis. Rhoda uma menina de 8 anos é uma criança notável tem uma inteligência acima da média. É quando ocorre um acidente fatal no passeio da Escola Primária Fern, que tudo muda e Christine se vê desconfiada e incomodada com a participação de Rhoda no evento. Por trás deste incidente Christine começa a voltar para o seu próprio passado, buscando de alguma forma tentar entender e justificar a diferença da filha com as outras crianças.  Esta busca faz com que Christine se torne uma mulher mais fechada e incapaz de conviver com as dúvidas e a culpa que inevitavelmente recaí sobre ela. Ao aceitar que a filha é reflexo de seu passado a afeta drasticamente.

Rhoda por outro lado continua sendo uma criança que sempre foi. O que a incomoda são as investidas do Zelador que embora, apenas suponha que Rhoda tenha algo a ver com a morte do garoto, tenta incomodá-la por ela ser forte e não demonstrar nenhum tipo de sentimento com relação as pessoas e aos fatos. Esses diálogos entre Leroy e Rhoda são interessantes e o leitor fica na expectativa se a Menina vai se revelar ou não. E o inevitável acontece calando a boca de Leroy.

Christine fica mais perturbada ao perceber que sua filha é quem ela é e não poderá mudá-la, e é justamente nesse momento que toma uma decisão definitiva.

O livro é sem dúvida perturbador eu como leitora e mãe me vi no lugar de Christine muitas vezes ao longo da história. O final deixou a desejar na minha opinião, acredito que daria um outro final. Até escrevi num caderno de anotação.

Porém, Willian March foi fenomenal ao criar esta história, um livro tão fascinante quanto questionador. Ele foi feliz ao recriar dentro de um relacionamento tão especial que é de uma mãe e uma filha suspense, e em especial o terror de uma mãe ao se deparar com uma filha psicótica e criminosa. São personagens fortes e que nos fazem refletir sobre os rumos que deveriam ser tomados, Christine foi fraca ao que deveria fazer com Rhoda? O que você faria? Você percebe que as opiniões dos leitores se divergem ao se depararem com a história porque envolve valores e sentimentos fortes.

Sem dúvida um prêmio de 5 estrelas para sua obra.

Eu super recomendo a leitura!

Um abraço

Daniela Corrêa

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s