Resenha: O Cemitério – Stephen King  

 
Característica:

Livro: O Cemitério

Autor: Stephen King

Páginas: 613

Editora: Objetiva

ISBN: 978-85-390-0140-8

Sinopse: Uma das histórias mais assustadoras de Stephen King, O Cemitério mostra como a dor e a loucura, muitas vezes, dividem a mesma estrada.
Louis Creed, um jovem médico de Chicago, acredita que encontrou seu lugar naquela pequena cidade do Maine. A boa casa, o trabalho na universidade, a felicidade da esposa e dos filhos lhe trazem a certeza de que fez a melhor escolha. Num dos primeiros passeios familiares para explorar a região, conhecem um “simitério” no bosque próximo a sua casa. Ali, gerações e gerações de crianças enterraram seus animais de estimação.
Para além dos pequenos túmulos, onde letras infantis registram seu primeiro contato com a morte, há, no entanto, um outro cemitério. Uma terra maligna que atrai pessoas com promessas sedutoras e onde forças estranhas são capazes de tornar real o que sempre pareceu impossível.

Olá Pessoal,

O livro conta a história de Louis Creed e sua família: Rachel, Eille, Gage e seu gato Churchil, eles se mudam de Chicago para uma cidade do Maine, mais precisamente para a casa de Ludlow. Louis é médico e foi contratado pela Universidade do Maine para prestar serviços médicos aos alunos. Após a chegada da família, os Creed são recepcionados por Jud Crandall um senhor de 83 anos, vizinho de frente logo após a estrada, Rodovia 15. Eles iniciam uma amizade a partir da chegada da família. Logo Crandall e a esposa Norma se afeiçoam a família Creed, principalmente  pelas crianças.

Crandall avisa sobre os perigos da estrada por causa dos grandes caminhões da Orinco que fica perto de Orrington, uma fábrica de fertilizantes químicos, os caminhões passam em grande velocidade, fazendo com que a estrada se torne perigosa. É também a respeito da trilha aberta no matagal, seperteada entre as árvores do bosque colina acima, no qual Crandall prometeu a Ellie levá-la algum dia. A trilha leva ao “simiterio dos bichos” as crianças do local e as que vivem perto da rodovia que cuidam e conservam a trilha e o simiterio dos bichos. E assim inicia a história assustadora de “O Cemitério”.

 Apesar dos avisos de Pascow, um aluno que morreu nos braços do médico em seu primeiro dia de trabalho pedindo para Louis se afastar do portal de gravetos e troncos do Cemitério dos bichos, que abre uma porta para algo muito mais assustador e maléfico, o médico não consegue evitar. E sua ida até esse local vai mudar a vida dele e toda a família.

 img_6257

A história é contada por Louis, na primeira pessoa, passando uma sensação de realidade dos fatos que estão prestes a acontecer.

Agora, se eu fiquei assustada? Se eu fiquei aterrorizada? Eu quero primeiramente contar para vocês que eu não sabia, mas esse livro foi que baseou o filme Cemitério Maldido e eu me lembro de assistir apenas uma vez na minha adolescência e por causa desse filme eu fiquei vários dias sem dormir e tinha um pavor grotesco do Cemitério e acima de tudo de ir em velórios. Eu sempre que viajo faço visitas a cemitérios para desafiar meu maiores temores e é nessas visitas que tenho descoberto tantas histórias e prinicipalme sinto uma inesgotável paz por incrível que pareça.

Ao ler o livro foi como se tivesse voltado todo aquele pavor da época na minha adolescência. Eu li como um desafio e justamente para impor sobre meus medos. Fui até o fim. E que fim, meu Deus!

No decorrer da leitura pude vislumbrar a loucura extrema por parte de Louis. Ele não somente perdeu seus entes queridos e amigos, mas perdeu a fé e a sanidade. A mente humana é algo extremamente rico  e envolvente, ela designa a nossa capacidade de discernir, interagir e tomar decisões de muitas formas, incluindo as mais insanas.

E aqui,  eu parabenizo King pela obra,apesar de todas as sensações estranhas que causou em mim, fez eu gostar ainda mais de seus livros. Ele é uma mente brilhante, fico pensando de onde ele tira essas histórias… O assustador e horripilante é o “menor” das sensações (não eu não escrevi esta frase 😱) diante de tamanha humanidade que o autor causa na nossa mente. Quem não queria driblar a morte e ter aquele ente mais amado e querido de volta ao lado? Se não causasse mais dor, seria divino. O desespero e a loucura agitam os corações daqueles que rejeitam a morte infelizmente.

Provavelmente é um erro acreditar que exista um limite para o horror que a mente humana pode suportar.

E é com essa citação que termino e fecho a porta para esse livro. Não quero nunca mais ter que ler algo assim, de forma alguma, o livro pode ser bom, mas não quero mais ter essas sensações hopilantes de novo.

Se você for mais corajoso, recomendo!

Eu li para o Desafio I DARE YOU! 😉

Um abraço

Daniela Correa

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s