Resenha – Depois de Auschwitz: Eva Schloss 

IMG_1778

Característica:

Nome do Livro: Depois deAuschwitz 
Autor(a): Eva Schloss
ISBN: 978-85-7930-539-9
Páginas: 304
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2013

Avaliação: 5/5

Sinopse: Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando a guerra termina e Auschwitz é finalmente extinto, mãe e filha iniciam uma longa jornada de volta para casa. Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. Este é um depoimento honesto e doloroso de uma sobrevivente do Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto poderia estar. Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança, de respeito ao próximo e de humanidade.

 Olá Pessoal,

Eu terminei de ler “Depois de Auschwitz”, com os olhos marejados de lágrimas,  muito emocionada e impactada com a história de Eva Schloss. É um livro comovente, com toda a certeza,  eu fui transportada para a vida de Eva e pude viajar com ela por todas as cidades onde esteve, em especial quando foi junto com sua família para o Campo de Concentração de Auschwitz dentro de um vagão de gado com mais de 100 pessoas aglomeradas. As histórias contidas neste livro são preciosíssimas, e nos leva a uma profunda reflexão sobre o bem e o mal existente dentro de cada ser humano. Nos leva a refletir sobre a morte e a dor. Sobre a liberdade e o sequestro do cotidiano e da subjetividade humana em todos os aspectos da palavra.

“Anne Frank escreveu no final de seu diário, pouco antes de ser capturada, que ainda acreditava que as pessoas tinham bons corações, mas eu me pergunto o que ela pensaria se tivesse sobrevivido aos campos de concentração de Auschwitz e Bergen-Belsen. Minhas experiências revelaram que as pessoas têm uma capacidade única para crueldade, brutalidade e completa indiferença aos sentimentos humanos. É fácil afirmar que o bem e o mal existem dentro de cada um de nós, mas eu vi a realidade de perto, e isso me levou a uma vida de questionamentos sobre a alma humana.”

O livro conta com detalhes toda a trajetória de vida de Eva e traz questionamentos e ensinamentos marcantes para nossas vidas. Eva era apenas uma menina de quinze anos quando foi presa e levada para Campo de Concentração de Aushwitz. Antes da prisão viveu momentos de alegrias e perseguições com sua família. Ela era muito ligada à seu pai e seu irmão Heinz, e em vários momentos teve que se separar dos seus entes queridos para fugir dos oficiais da SS.

IMG_1796

Eva viu seus amigos de infância a perseguirem por ser Judia. Viu pessoas que conheciam sua família virarem as costas. Viu a fome e a morte ao seu lado por um longo tempo. Viu-o desaparecimento das pessoas que mais amava. Viu o medo e desespero chegar ao nível máximo. Viu os horrores da guerra, a sua destruição e devastação. Viu o renascimento da esperança. Viu a alegria de conceber um filho. Viu a vida voltar, em meio a amargura e ódio. Viu o contentamento de ter feito a sua parte neste mundo. Sem dúvida é uma narrativa emocionante.

IMG_1820

Na minha simplória opinião pouco importa os inúmeros questionamentos sobre Eva Schloss ser ou não irmã de sangue de Anne Frank – quem leu o livro sabe que Eva não era irmã de Anne, ela se tornou irmã por mérito ao trabalho desenvolvido após a morte de Otto Frank – esse é apenas um detalhe e um equívoco que não tem relevância alguma. Porém, ela descreve seu relacionamento passageiro com Anne Frank. E como foi o relacionamento com Otto Frank após se casar com Fritzi.

Eu ficaria aqui escrevendo por horas afinco a respeito deste livro tão precioso e que deve ser lido, não para trazer tristezas em nossos corações, mais para trazer esperança e motivação e se pudermos escolher caminhos oposto ao antissemismo, perseguição, racismo e qualquer tipo de preconceito. O amor ao próximo e a aceitação ainda é um dos maiores caminhos que podemos optar.

Termino citando um dos trechos que mais mexeu com meu coração:

Cresci no que estava longe de ser um mundo maravilhoso, mas ainda encontrei uma vida cheia de alegria e amor, e o meu pesar mais profundo é que Pappy e Heinz não puderam compartilhar comigo isso. Depois de falar sobre as minhas experiências por mais de vinte e cinco anos, ja posso prever a maioria das perguntas que as pessoas me farão, mas isso não significa que tenha todas as respostas. (…) Uma garota de olhos escuros da Somália levantou a mão, hesitante, e perguntou: – Você acha que isso pode voltar a acontecer? Não posso responder isso, mas talvez você possa. Será que pode voltar a acontecer? Eu espero que não.

Pessoal, desejo do fundo do meu coração que todos tenham o interesse e aprecie esta leitura maravilhosa e histórica, para que possamos aprender com os erros do passado. Independente da cor, antecedentes, sexualidade ou religião, possamos olhar para as pessoas com mais misericórdia, e que acima de tudo possamos calçar o sapato do outro, antes de perseguir, culpar e julgar qualquer ser humano.

Um grande abraço

Daniela Corrêa

Anúncios

5 comentários sobre “Resenha – Depois de Auschwitz: Eva Schloss 

  1. Daniela Moraes disse:

    Dani,
    Conhecer um pouco mais sobre os acontecimentos da segunda guerra, conhecer as histórias de antissemitismo, saber nomes, ler relatos do que aconteceu faz com que sintamos uma ligação maior e faz com que deixe de ser apenas um tópico da aula de história e se torne real. Acho que isso é extremamente relevante justamente para tentarmos evitar que coisas assim aconteçam novamente e que na verdade estão acontecendo toda vez que vemos manifestações extremistas como esse grupo “Estado Islamico”, por exemplo.
    Se você se interessa pelo assunto recomendo um documentário do BBC, chamado Auschwitz – The nazi and final solution, tem na netflix. Eu escrevi uma resenha sobre ele no blog: http://www.asverdadesqueopinoquioconta.blogspot.com.br/2014/07/o-holocausto-e-imbecilidade-do-ser.html
    Se quiser dá uma olhadinha na resenha.
    Bjus,

    Curtido por 2 pessoas

    • Daniela Correa disse:

      Dani, obrigada pelo seu comentário!
      Eu me interesso sim por esse assunto e é como você escreveu quando conhecemos os relatos dos acontecimentos marcantes como o caso da Segunda Guerra Mundial faz com estejamos ligados de alguma forma. Eu termino de ler, porém fico conectada e passo dias afinco meditando sobre aqueles detalhes que deixamos para trás ao escrever a resenha. Eu vou assistir o documentário obrigada pela dica!
      Vou ler sua resenha, também.
      Beijos

      Curtir

    • Daniela Correa disse:

      Laynne, leia você vai gostar. Tem alguns livros que acredito serem importantes para leitura, embora sendo tristes. Eu estou com outro para ler “A Bibliotecária de Auschwitz” mas meu estado de espírito agora está voltado para releituras e romances de época. Então vai esperar na fila…por um tempo.
      Beijos

      Curtido por 1 pessoa

      • laynnecris disse:

        Eu não me importo de ler coisas tristes… A vida não são só flores… embora, vivemos em uma era totalmente distintas das referidas nestes livros. Tenho lido Zelota e pelo que posso ver essas revoltas e massacres são mais antigos do que se possa calcular…

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s