Crime e Castigo – Resenha

IMG_0522

Sinopse: A influência de Dostoiévski sobre toda a literatura universal do século XX foi avassaladora. O romance ´Crime e Castigo´ (1866) foi acolhido com grande expectativa por uma legião de leitores fascinados com o destino de Raskólnikov, estudante e homicida perseguido pela memória de seu crime. Raskólnikov, paupérrimo, resolve matar uma miserável e inútil usurária, para salvar a si próprio e a sua família; comete o crime, mas logo se vê obrigado a assassinar outra pessoa, inocente, e sai sem ter roubado nada; as dúvidas o devoram, seu duelo de conversas com o comissário de polícia destrói-lhe os nervos e, por fim, confessa o crime a uma prostituta que lhe mostra o caminho do arrependimento e do Evangelho. Dostoiévsky identifica o problemas central dos limites da liberdade da ação humana, mas também sugere as possibilidades de redenção pelo crime. A partir de dados reais, o autor construiu uma parábola da culpa e da punição.

A leitura de “Crime e Castigo” me rendeu três longos meses. Virou um caso de amor e ódio, preguiça e honra por assim dizer. Dostóievski tem um dom, à primeira vista me fez odiar sua literatura por ser um livro bem difícil de interpretar logo de início.

Comecei minha leitura com um dicionário sempre ao lado. Porém, fui me acostumando e ao final já estava apaixonadíssima pela sua escrita. Raskólnikov me deixou muito intrigada o livro todo, porque no início ele não dá nenhuma explicação plausível sobre os motivos que o levaram matar a viúva e infelizmente a sua irmã.  Ele, mata simples assim. E não rouba nada, o pouco que consegue levar não usa esconde numa pedra e esquece.

Raskólnikov fica entre a razão e a loucura, entre a doença e a melhora. E em muitos momentos você fica com muita vontade de abandonar a leitura, por ficar demasiadamente cansativa. Ao mesmo tempo, você fica fascinado com os diálogos inteligentes que Raskólnikov e seu amigo Razumíkhin, que acredita fielmente no amigo, travam em toda a história. Há também, os diálogos entre Rakólnikov e o Juiz de Instrução Porfiri Pietróvitch com seus argumentos psicológicos que acabam por deixar Rakólnikov extremamente perturbado.

Embora, Rakolnikov seja realmente o criminoso é um homem inteligentíssimo e astuto, que no meio deste caminho tortuoso encontra a adorável Sônia uma moça que não vê outra forma de ganhar a vida por meio da prostituição e é ela quem o leva para arrependimento e uma nova forma de ver as coisas como realmente são. Ele se arrepende e recebe o perdão por meio do evangelho, no entanto tem que cumprir a sua sentença.

Eu recomendo a leitura do livro para todos àqueles que acreditam na redenção de um criminoso. Para aqueles que amam livros clássicos. Dostoiévski constrói uma história de suspense a partir de dados reais.

Eu gostei tanto, apesar de toda dificuldade inicial, que quero ler outros clássicos da literatura. Crime e Castigo é um Obra-Prima, que me encantou.

Daniela Corrêa

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s